Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

A próxima vítima.

Já se tornou evidente que Portugal vai ser a próxima vítima dos mercados e a responsabilidade é exclusivamente do descalabro orçamental a que este Governo deixou chegar o país em 2010. Na verdade, depois de se saber que a execução orçamental continua em derrapagem diária neste ano de 2010, como é que algum investidor pode acreditar que agora vai haver uma rigorosa execução orçamental em 2011, conduzida exactamente pela mesma equipa?

 

Sócrates bem pode aparecer diariamente a dizer que Portugal não precisa de ajuda externa. É exactamente a mesma coisa que o Governo Irlandês dizia há pouco mais de uma semana, e já se viu onde está hoje. Pode levar mais algum tempo, mas é manifesto que ninguém no exterior acredita na capacidade deste Governo em reduzir o défice. Até já o candidato Cavaco Silva o diz, sendo estranho que o Presidente Cavaco Silva nada tenha feito perante essa conclusão, que já era óbvia para todos em Maio passado.

 

Mas há efectivamente uma grande diferença entre a Irlanda e Portugal. É que na Irlanda um Governo com muito menos responsabilidade pela crise que atingiu o seu sector financeiro não hesita um segundo em apresentar a sua demissão e pedir novas eleições após apresentar um orçamento com medidas altamente gravosas para os seus cidadãos. Em Portugal, pelo contrário, o Governo continua como se não tivesse qualquer responsabilidade nesta situação. E a oposição também não quer assumir as suas responsabilidades nesta crise. Ora, a manutenção deste Governo em funções por motivos de calculismo político constitui um péssimo serviço prestado ao País, na altura em que necessitaríamos de um Governo competente e credível, com uma legitimidade refrescada por um mandato popular claro para tomar as medidas que se impõem.

 

Quanto mais tempo terá que decorrer para que os nossos políticos decidam abandonar de vez esta situação pantanosa e fazer o que o País necessita?