Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

O Espírito Bovino

Num recente debate sobre os 100 anos da República, um dos autores deste blogue descrevia uma cena tipicamente portuguesa: enquanto os republicanos davam vivas à República na janela da actual Câmara Municipal de Lisboa, ao fundo os populares caminhavam com as suas juntas de bois totalmente abstraídos da situação, quiçá sem saberem que tinham deixado de viver em monarquia.

 

O mesmo se passa hoje. Enquanto o governo se limitava a ameaçar colocar portagens a maralha protestava organizando uns buzinões tímidos (simpatia minha) e aplaudindo os cartazes que um ou outro município lançaram.

 

Mais tarde, já sem Lino e com outro actor de menor tino, começaram a nascer como cogumelos uns pórticos horrendos. A seguir, ficamos a saber que só o Norte seria premiado e mesmo neste, a sorte grande foi atribuída às câmaras municipais lideradas pelos partidos da oposição. Tudo justo e perfeito, como facilmente se viu e vê. Alguns, crentes, acreditaram que a malta não admitiria este verdadeiro cuspir na cara por parte do governo. Fui um dos crentes.

 

No dia em que as ditas portagens começaram a ser cobradas, o que fez a maralha? Foi a correr comprar o chip, em longas filas bovinas e com a suprema lata de praguejarem contra os autores desta vergonha. Sim, lata. Quem se dá ao papel de acatar sem lutar só pode ficar em silêncio. Um silêncio envergonhado mas silêncio, o de quem paga consente.

 

Agora descobriram aquilo que alguns se fartaram de recordar: não existem alternativas. As estradas municipais ficaram entupidas e o trânsito literalmente bloqueado. Não falta muito e vão culpar as câmaras municipais, principalmente aquelas que se fartaram de avisar e que lutaram por todos os meios legais para impedir esta parvoíce.

 

Meus caros repito, quem paga consente e já que não tiveram tomates para a desobediência civil generalizada então limpem-se a este belo guardanapo: continuem a pagar e não bufar. A longa marcha bovina continua. Temos os políticos que merecemos. Ontem como hoje.

5 comentários

Comentar post