Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Uma grande Mulher

Um certo dia, era eu um puto, tive o grato privilégio de partilhar o palco do Fórum da Maia com uma das mulheres que mais admirava. Vi-a nela a futura líder de um verdadeiro Governo da Nação.

 

Sendo eu neto de uma das primeiras mulheres farmacêuticas deste país (e filho e irmão de farmacêuticos) o tema da saúde pública era recorrente em casa. A admiração que todos nutriam por ela contagiou-me e fez-me estar sempre atento ao seu percurso. O meu Pai, assim como a minha irmã, nunca perdoaram ao Independente e a Paulo Portas a forma como destruíram esta grande portuguesa. Nunca os culpei por tal pois nunca achei grande piada ao assassinato do mensageiro.

 

Regressando a esse dia. Por dever de ofício tinha de discursar para cerca de 600/700 almas, boa parte das quais gostavam tanto de mim como eu do Benfica. Mas tinham que me gramar pois assim ordenara o “árbitro”. Eu, um puto reguila e inconsciente, estava absolutamente tranquilo. Só quando vi entrar Leonor Beleza e dirigir-se a mim para me cumprimentar fiquei todo a tremer e lembro-me que fui arranjar “lata”, sei lá onde, para lhe dizer o quanto a admirava e o desejo de a ver, um dia, a liderar o destino do país. Nunca mais nos voltamos a cruzar. Ao longe, continuei a observar o seu percurso e a admirar a sua coragem.

 

Hoje, ao ler este texto de Fernanda Câncio, recordei esse dia. Não escondo, fiquei emocionado. Um elogio destes vindo de alguém ideologicamente tão distante de Leonor Beleza não apenas engrandece Leonor como igualmente a autora da prosa. A minha vénia.