Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

O Abraço de Urso:

 

Ou muito me engano ou nos próximos dias vão surgir “estudos de opinião” a afirmar que os portugueses querem um acordo entre o Governo e o PSD para o Orçamento de Estado.

 

Basta olhar para os jornais deste fim-de-semana e ler nas linhas e entrelinhas os recados de Belém e as juras de S. Bento. Ora, a actual direcção do PSD está perante um dilema: ser presa por ter cão e presa por o não ter.

 

Se aceita um acordo com o Governo está a minar toda a sua credibilidade e a violentar o futuro de Portugal. O novo PSD já sabe, por experiência dos últimos meses, que qualquer acordo seja verbal ou escrito, com ou sem testemunhas, com o Governo vale zero. Como valeu o último. Zero. Qual foi o resultado? Aumento de impostos e, pasme-se, aumento das despesas sem cumprir praticamente nada do que acordou com o principal partido da oposição. Para cúmulo, se aceitar estas regras viciadas será crucificado na praça pública. Um verdadeiro abraço de urso.

 

Se não aceitar fazer um acordo com o actual Governo, será queimado em lume brando pelos diferentes sectores da opinião publicada próxima de Belém e de S. Bento, um verdadeiro “dois em um”. Para agravar o panorama, parece que já estou a ver o Prof. Marcelo a afirmar que este PSD não serve por não ter “sentido de estado”. Um belo soundbyte que não quer dizer nada supondo dizer tudo.

 

Ora, entre o superior interesse de Portugal e a opinião publicada e do eixo Belém-S.Bento, eu prefiro o primeiro caminho e, consequentemente, entendo que o PSD terá de chumbar o orçamento para 2011. As eleições presidenciais são muito importantes mas nada supera o interesse nacional e garantir o futuro de Portugal. Terá de ser um NÃO redondo.

 

O Governo e o partido que o suporta pode sempre encontrar outro parceiro, esteja ele mais à direita ou mais à esquerda. Tendo em conta que já está de braço dado com o Bloco nas presidenciais, é só mais um jeitinho.

9 comentários

Comentar post