Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

A noite em que Balsemão ligou lá para casa

Primeiro cito as declarações de Pinto Balsemão à Comissão de Ética, no passado dia 3 de Março. 


“Talvez por ser jornalista, a minha atitude foi diferente quando fui primeiro-ministro. E lembro-me de, nessa altura, o meu jornal, o Expresso, me atacar, e de me atacar de uma forma algo freudiana”.
 

 
Agora passo a contar esta minha pequena minha história.
 
Aconteceu certa noite, entre 1981 e 1983. Não me recordo exactamente em que dia, em que ano, nem a que propósito tocou o telefone nessa noite. Mas tocou. E fui eu quem o atendeu.
 
 - Está lá? Boa noite...
 
- Boa noite! Estou a ligar para casa do Manuel Beça Múrias?
 
- Sim, quem fala?
 
- Francisco Pinto Balsemão...
 
Com o coração a bater forte, respondi:
 
- Vou já chamar o meu pai...
 
E lá fui a correr até à sala da televisão chamá-lo.
 
Quando lhe disse quem era ao telefone, o meu pai não me pareceu nervoso. O semanário O Jornal, em 1981 era um jornal de referência e  principal concorrente do Expresso. O meu pai era uma das suas figuras mais destacadas. E Pinto Balsemão ao telefone, mesmo sendo primeiro-ministro, não era nada de chocante para aquele tempo. 
 
Fiquei na sala. Largos minutos depois o meu pai voltou.
 
Voltou a sentar-se à frente da TV, e disse-me antes que eu desatasse a fazer perguntas:
 
- O Expresso anda a dar-lhe porrada...
 
Nem meia hora depois adormeceu, como sempre adormecia, a meio de um filme...

12 comentários

Comentar post