Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

O Mosquito

 

Aqueles que nunca conseguem sair do casulo da mediania onde sempre andaram e vislumbram o voo do seu vizinho rumo a melhores paragens são como aqueles mosquitos nocturnos que nos atormentam no leito. No fim, ou levam com uma sapatada mortífera ou apenas incomodam o início de uma boa noite de sono. Nada mais.

 

Foi o que disse, hoje, a um amigo com quem almocei e que está a ser incomodado por uma espécie de mosquito. Esse amigo, um bom tipo, está de partida para algo melhor. Depois de alguns anos a trabalhar um determinado cliente de forma deveras profissional, superando todas as expectativas e engolindo todos os sapos necessários para servir exemplarmente e executar integralmente os interesses do contraente, vê chegada a hora da partida. Onde esteve cumpriu amplamente e isso fez-se notar. É o justo e merecido prémio.

 

Quem não consegue sair da mediania, da quase mediocridade e vê os outros voar prefere pintar um retrato de maledicência do vencedor do que procurar seguir o seu exemplo. Na política, partidária ou não, vemos todos os dias situações do género. Na vida profissional, idem. Quantos vezes, mesmo aparentando estar distraído, vejo os mosquitos a voar. Seres minúsculos que utilizam todas as técnicas para denegrir o sucesso dos outros. Ainda há dias vi um. É deixá-los pousar.

 

Este meu amigo vai continuar a trabalhar na sua especialidade, naquilo que sabe fazer como poucos. Vai para melhor, sem ressentimentos e fruto da excelência dos seus últimos anos de trabalho. Ele vai e faz muito bem.

 

No final, entre o fumo dos nossos cigarros só lhe deixei uma última mensagem. Não olhes para trás, para a frente é o caminho. Esse mosquito, animal pequeno, e aquilo que ele diz é apenas e tão só como aquele pedaço de bosta que está ali, no meio do caminho, não chega a ser um obstáculo. É só desviar ligeiramente. Nunca calcar, caso contrário o cheiro fica mais intenso e persegue-te durante toda a viagem...

 

Boa sorte e até já.

1 comentário

Comentar post