Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

A Maior Bolha Especulativa de Sempre da Política Portuguesa Rebentou (e não foi preciso um tiro...)

 

 Fernando Nobre foi a maior bolha especulativa de sempre da política portuguesa. Foi. Hoje, depois de muitíssimo empolamento próprio e induzido, rebentou.

 

Fernando Nobre abandonou a Assembleia da República. A renúncia ao mandato de deputado foi dada a conhecer por carta enviada aos serviços da Assembleia (no Público).

 

O convite do PSD a Fernando Nobre para que este fosse cabeça de lista da maior circunscrição eleitoral do país e, ainda, "candidato a Presidente da Assembleia da República" não era racionalizável. Os resultados estão à vista: um vexame.

 

Na história da democracia portuguesa, Fernando Nobre, presidente da AMI e candidato nas últimas eleições presidenciais, foi o primeiro candidato a presidente da Assembleia da República a falhar a eleição para esse cargo (no Expresso). Isso: um vexame.

 

"É com alguma tristeza que me afasto das funções de recém-eleito deputado, mas estou certo e ciente de que serei, como já referi, mais útil aos portugueses, a Portugal e ao mundo na ação cívica e humanitária que constitui a minha marca identitária", refere na carta de renúncia ao mandato do lugar de deputado (idem, bold meu).

 

Tanta megalomania... E ainda vem insistir na "marca identitária" e sugerir que é um não-político... depois de já tanta participação política. Político mal sucedido, provavelmente; não-político é que nem pensar!

 

Como escrevi, [s]ó tenho muita pena que esta bolha vá acabar por estourar no parlamento português e, ainda por cima, nas mãos do PSD (aqui). Mas, de facto, também sinto pena de Fernando Nobre: um homem com um currículo bom, por causa destas aventuras políticas, todas elas fúteis e inúteis e irracionalizáveis, acabou por provocar a deterioração do seu próprio prestígio, que era merecido, e da sua imagem.

 

Política, megalomania e ingenuidade, todas juntas, só poderiam levar a este fim.

9 comentários

Comentar post