Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Albergue Espanhol

"-Já alguma vez estiveste apaixonado? - Não, fui barman toda a minha vida." My Darling Clementine, John Ford.

Crise Orfã

 

Portugal precisou de ajuda externa, cara e em condições que vão mudar a vida de todos nós, para poder continuar a assegurar financiamento ao Estado, às famílias e às empresas. Após uma década de estagnação, e de crescimento galopante do desemprego (mais de 500.000 novos desempregados na última década), da mais que duplicação da Dívida Externa e da duplicação da Dívida Pública, Portugal não conhece culpados. Bom, à direita e à esquerda do PS (e, em privado, em muitos sectores do PS) aponta-se José Sócrates. O ainda Primeiro- Ministro será o principal culpado, mas cometeu os maiores erros apenas porque tentou  defender Portugal dos especuladores e da crise internacional.

 

Constâncio não pode ser culpado pois é amigo do Presidente da República, de muitos dos economistas com lugar certo nos media e, quando convenceu Guterres de que a Balança Externa era irrelevante num país pertencente a uma zona monetária maior, foi mal interpretado. Teixeira dos Santos, que foi ministro de Estado e das Finanças nos últimos 6 anos também não tem culpa nenhuma. Pelo contrário, foi apenas mais uma vítima às mãos de Sócrates.  Merece, no mínimo, uma comenda. 

 

Em suma, a economia portuguesa foi maltratada como não há memória nos últimos 80 anos, mas não há portugueses responsáveis pelo desastre.  Culpados, só mesmo a crise internacional e os especuladores. E, talvez, a famosa lei de Murphy.

 

amanhã no Correio da Manhã

2 comentários

Comentar post